Reconhecimento parental e plasticidade fenotípica em duas cultivares de milho em resposta à competição intraespecífica

Nome: Geovana Poton Arcobeli Cola
Tipo: Tese de doutorado
Data de publicação: 24/02/2017
Orientador:

Nomeordem decrescente Papel
José Augusto Teixeira do Amaral Co-orientador
Paulo Cezar Cavatte Orientador

Banca:

Nomeordem decrescente Papel
Fabio Luiz de Oliveira Examinador Externo
José Augusto Teixeira do Amaral Coorientador
Mário Luís Garbin Examinador Externo
Paulo Cezar Cavatte Orientador
Taís Cristina Bastos Soares Examinador Interno

Resumo: Os cultivos agrícolas são normalmente estabelecidos em sistema de monocultivo, sob adequada disponibilidade hídrica e nutricional, manejo intensivo de plantas daninhas e elevada densidade de plantas altamente relacionadas, como forma de obtenção de altos rendimentos. Essas condições podem ter potencializado a capacidade de reconhecimento parental em plantas cultivadas. Diante do exposto, o objetivo desse trabalho foi avaliar a capacidade de reconhecimento parental e a plasticidade fenotípica em duas cultivares de milho (Zea mays L.) em resposta à competição intraespecífica. Para tal, dois genótipos de milho contratantes quanto ao grau de domesticação (‘Híbrido’ e ‘Crioula’), foram cultivadas com plantas vizinhas de diferentes graus de parentesco [tratamento entre indivíduos meio-irmão, da população e estranhos (entre cultivares)] e tiveram o crescimento e características morfológicas, fisiológicas e bioquímicas avaliadas. A cultivar “Híbrido” apresentou um comportamento de reconhecimento parental evitando a competição entre plantas que compartilham algum grau de parentesco, enquanto sob competição com vizinho estranhos respondeu a competição, alterando o padrão de alocação de biomassa, apresentando maior alocação ás raízes em comparação a colmo e folha. Um menor investimento também foi observado em estruturas morfológicas, como altura e, uma maior concentração de clorofila a e total foi observada para a cultivar ‘Híbrido’, quando sob competição com indivíduos estranhos. A cultivar ‘Crioula’ por sua vez, apresentou um mesmo padrão de alocação de biomassa, estruturas morfológicas e fisiológicas entre os tratamentos. Para as variáveis bioquímicas, quando sob competição com indivíduos meio-irmão e da população, as plantas da cultivar ‘Crioula’ mostraram investir recursos para produção de metabólitos secundários, sugerindo que as respostas de reconhecimento de identidade em espécies de culturas não melhoradas podem envolver alterações metabólicas na planta. Logo, a cultivar ‘Crioula’ apresentou baixa plasticidade fenotípica em atributos de crescimento, morfológico e fisiológicos em relação à competição intraespecífica e a cultivar ‘Híbrido’, em função da maior capacidade de reconhecimento parental, apresentou maior plasticidade fenotípica em atributos relacionados ao crescimento e morfologia.

Acesso ao documento

Transparência Pública
Acesso à informação

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Alto Universitário, s/nº - Guararema, Alegre - ES | CEP 29500-000