Análise do potencial tóxico de lodo de esgoto, como subsídio para disposição agrícola

Resumo: A etapa inicial do controle da poluição aquática é o tratamento do esgoto, sendo ele doméstico ou industrial, deixando em segundo plano a disposição dos resíduos gerados nesse processo. A composição do lodo de esgoto baseia-se em quantidades variáveis de água, macro e micronutrientes, matéria orgânica, microrganismos e compostos orgânicos e inorgânicos. Entre as opções para destinação final do lodo de esgoto destaca-se a aplicação deste em áreas de produção agrícola. Contudo, as análises físico -químicas exigidas legislação não informam sobre os possíveis efeitos tóxicos desses compostos. Já bioensaios com vegetais superiores são eficazes em predizer a toxicidade de poluentes presentes em amostras ambientais. Com isso, esse trabalho tem como objetivo avaliar o potencial citotóxico, genotóxico e mutagênico de amostras de lodo de esgoto provenientes da Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) do município de Jerônimo Monteiro - ES, por meio de bioensaio com Allium cepa, de modo a gerar subsídios para o possível uso do resíduo na agricultura.

Data de início: 2013-03-01
Prazo (meses): 24

Participantes:

Papelordem decrescente Nome
Aluno Mestrado Maria Nilza Corrêa Martins
Coordenador Tatiana da Silva Souza
Transparência Pública
Acesso à informação

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Alto Universitário, s/nº - Guararema, Alegre - ES | CEP 29500-000